Informações e notícias sobre Rankings. Os melhores, piores, maiores e menores do Brasil e do mundo você encontra no nosso blog.

29 de novembro de 2008

A importância da música – Como ela pode moldar a vida de alguém (2000...)

Olá amigos do H&R. Hoje não vou contar uma história em especial e sim vou falar sobre a participação de algo que é elemento essencial na minha vida desde 2000. É uma relação de amizade muito forte e que começou com um acontecimento ruim, mas com o passar do tempo ajudou a moldar meu estilo de vida, minhas amizades, relações e hoje em dia não consigo mais me imaginar sem isso. Eu falo da minha relação com a música e com o violão.

Em 2000, quando eu tinha 15 anos, trabalhava vendendo os artigos de lã (normalmente para atacados) que minha mãe fabricava e ganhava 25% do lucro total. Eu viajava 200km de ônibus para vender os produtos em Porto Alegre. Certa vez consegui vender 200 reais em um dia e já estava feliz com a comissão que eu ganharia (40 reais para mim era uma fortuna), mas perdi uma parte do dinheiro. Fiquei muito chateado e achei justo tirar da minha parte o que eu perdi, mas a minha mãe resolveu usar o dinheiro que ganhamos para comprar um violão no dia seguinte. Cada um pagou 50% do violão Tonante de 90 reais.

É inegável que minha mãe foi a primeira pessoa que me motivou a começar a tocar. A pessoa que me motivou no início foi o meu amigo Felipe. Ele tinha aprendido a tocar a pouco tempo, mas já sabia o suficiente para ler revistas de cifras e ensinar os primeiros ritmos (que para mim eram quase impossíveis). Por culpa dele aprendi a tocar como destro, apesar de eu ser canhoto. Em uns três meses aprendi minhas primeiras músicas (basicamente Pop Rock nacional) e sentia orgulho disso. No passar dos anos ensinei muita gente também que inclusive continua na ativa e prestes a se profissionalizar.

O violão me ajudou a ter autoconfiança e me auxiliou socialmente. Meus maiores amigos foram conquistados por causa da música. Além disso, o violão me distraia. Lembro que passava tardes me tirando músicas novas, inventando coisas e tentando aperfeiçoar as técnicas. Por culpa do violão mudei meu gosto musical. Eu já não gostava de música sertaneja, pagode e afins. Depois que eu comecei a tocar e descobri a magia do blues (que a cada eu tento descobrir mais), da bossa nova e dos 384 estilos de rocks que existem, não cabia mais espaço para ouvir certos tipos de música.

Isso sem contar as meninas. Tocar me ajudou muito com elas, principalmente com músicas como Garotos, Me odeie e More Than Words, mas devo destacar que minhas relações só “fluíram de verdade” com meninas que sabiam tocar algum instrumento ou cantar. Inexplicável? Acredito que não. Quem não se derrete com a sensibilidade de uma menina demonstrando a arte através de acordes, solos e melodias? Essas lembranças sempre ficam na minha memória, inclusive nos piores momentos. Acredito que casais “musicais” nunca ficam sem assunto, a música falaria por eles quando fosse necessário.

Quem lê esse texto pode pensar que eu seja um virtuose e quero deixar bem claro que eu não sou, o que prova que qualquer um pode se dar bem com a música, mesmo que não tenha o talento nato (apesar que tem gente fala que eu tenho,RS). Já tive bandas e projetos de bandas, hoje “vida adulta” não me deixa mais dedicar tanto tempo para isso (se uma pessoa em especial ler isso, chegará à conclusão que eu finalmente dei o braço a torcer).

A música já foi um sonho, já foi instrumento para eu ficar visível, mas hoje tem uma função muito maior que essa. Tocar me dá paz e me livra da solidão quando eu preciso. Por que nada mais tranqüilizador e relaxante do que pronunciar algum mantra ritmado que começa em sol, passa por dó, ré, mi menor e faz você esquecer-se dos problemas, por que naquele instante só existe no mundo você e uma violão que reproduz alguns simples acordes. YOSHI!

9 comentários:

S disse...

Muito bom, talvez a música seja a única coisa realmente impressionante no mundo. O fato de um conjunto de sons distintos formarem emoções é fascinante.

Fer Suguiama disse...

Os sons são os sentimentos que podemos ouvir. Lembro-me de quando falamos sobre casais musicais, Yoshi! Serei obrigada a concordar... Não apenas pelo estilo que se ouve, mas pela união das almas, digamos assim. =P
Ótimo texto!

muthafucka disse...

Eu odeio música!!! :p

huehuehuehueheuheu... mentira...

Acho que o Sonny do P.O.D. é o melhor exemplo do poder da música boa na vida de uma pessoa.

Yoshi disse...

Os três que comentaram acima são exemplos de pessoas que foram ajudados pela música em sua formação...Obrigado pelos comentários!

Igor! disse...

Uau! é verdade! a música com certeza pode mudar! auHEAUuheAUHEHUae...
UAU... e como pode mudar!!!...

Rodrigo Piva disse...

Excelente história!
A música é das coisas que não consigo viver sem.

Deixei um selo pra ti no Curiosando.

Abraços e bom domingo!

Nacir Sales disse...

Este Blog, pelo conteúdo, forma e proposta, é objeto de indicação no DOMINGO É DIA DE BLOG! post semanal sobre o melhor da blogosfera, publicado no Dr. Negociação. Parabéns!

^^taci disse...

È fascinante a maneira q a musica resume a vida , expressa os sentimentos, quebra todas a regras! ! ! O mais incrível o poder mágico de um violão ... sim mágico pois ele passa uma magia incrível, principalmente tocado por pessoas especiais ( assim como vc Yoshi ) ! ! !

Guilherme Freitas disse...

Caro amigo Yoshi. Seu blog é muito bom e sua equipe também é excelente. Lembro da primeira vez que vc me escreveu pedindo para fazermos uma troca de link e não nos arrependemos de tê-lo como parceiro, ao contrário estamos muito felizes. Parabéns ao H&R, de visual novo, e espero que mais sucessos venham nos próximos post. Abraços e Sucesso.

Guilherme Freitas e equipe do Blog da Comunicação.

Related Posts with Thumbnails